Desenvolvimento de próteses faciais com a impressão 3D Stratasys

Desenvolvimento de próteses faciais com a impressão 3D Stratasys

Na América Latina, pacientes são beneficiados pela impressão 3D de próteses faciais, que podem permitir a recuperação de funções básicas e garantir a identidade de cada sujeito.

Desenvolvida para beneficiar pacientes que tem poucos recursos e que sofreram mutilações faciais causadas por câncer ou alguma doença congênita, a tecnologia ID+ (mais identidade) permite a produção rápida e econômica de próteses faciais extremamente detalhadas.

Essa metodologia integra a Polyjet da Stratasys e também a tecnologia de fotogrametria monoscópica, que está presente na câmera de smartphones comuns.

A modelagem 3D pode ser feita em qualquer software livre e que possa ser integrado à impressora 3D Polyjet.

O resultado é um fluxo de trabalho digital e com baixo custo.

Próteses faciais com Polyjet

As impressoras 3D Polyjet da Stratasys foram escolhidas para integrar o projeto devido as suas capacidades de oferecer uma resolução de camada microscópica e por apresentarem precisão de até 0,1 mm e de 14 micrômetros no eixo Z de impressão.

Essas características do equipamento possibilitam a capacidade de produzir os modelos 3D dos rostos dos pacientes com os mínimos detalhes de pele, poros e até mesmo orifícios, se necessário.

O início do projeto é baseado no desenvolvimento de uma estrutura 3D onde é reproduzida a anatomia do paciente.

Ao término do projeto 3D, a próxima etapa é a impressão propriamente dita e, em seguida, é realizado o pós tratamento com polimento manual.

Assim, c é possível obter uma face quase idêntica à original e fiel à anatomia do paciente, possibilitando que se tenha melhor qualidade de vida.

A metodologia +ID

A metodologia do +ID foi desenvolvida e patenteada pelo médico Rodrigo Salazar, especialista em reabilitação maxilofacial.

Além do Brasil, o novo método foi implantado no Chile, Peru, Uruguai, Colômbia, Estados Unidos e Índia. No total, 40 pacientes já receberam uma prótese facial e melhoraram exponencialmente sua qualidade de vida

“Integrar a tecnologia Polyjet da Stratasys à metodologia +ID ‘Mais Identidade’ tem permitido que os profissionais otimizem a qualidade dos dispositivos protéticos com investimento financeiro significativamente menor e com muito menos tempo de internação necessário para o paciente”, declara o médico.

A impressão 3D tem atuado cada vez mais no setor hospitalar e é impressionante como a manufatura aditiva está mudando e salvando vidas em diversas maneiras possíveis.

Com a tecnologia FDM temos cada vez mais próteses sendo desenvolvidas e com a tecnologia Polyjet podemos ver grandes resultados na estética de pessoas que perderam partes faciais e também sendo uma grande ferramenta para estudo técnico de pré-cirurgia.

Veja também:

Impressão 3D e biomodelos: Corrigindo deformação craniana

Oftalmologia com impressão 3D: prototipagem de equipamentos e lentes de diagnóstico

Posts Relacionados

Compartilhe isso: