Indústria 4.0 e a Internet das Coisas salvando vidas

Indústria 4.0 e a Internet das Coisas salvando vidas

Indústria 4.0 e a Internet das Coisas salvando vidas

As tecnologias da atual revolução industrial conseguem fazer mais do que melhorar e otimizar a indústria e o nosso dia a dia, conseguimos observar uma melhora significativa na área medica e vemos a indústria 4.0 e a Internet das coisas salvando vidas.

Uma potência digital na Estônia que adota a Internet das coisas está salvando a indústria da saúde.

Um banco de dados imenso reúne histórico de pacientes que foi coletado nos hospitais, clinicas, laboratórios, consultórios e até mesmo ambulâncias.

Socorristas preenchem relatórios que é acessado em tempo real pelo hospital que está aguardando o paciente e já tem informações suficientes para se preparem para o próximo passo.

Com essa iniciativa tecnológica em conjunto com a saúde, se ganha até 10 minutos, o que em uma situação crítica é bastante tempo.

É importante salientar que todos estes dados, considerados propriedade do cidadão, são tratados com extremo cuidado em relação à privacidade, mantendo-se registros de todas as visualizações dos mesmos e severas punições àqueles que visualizam sem uma razão para tal.

Indústria 4.0 e a Internet das coisas no Brasil

Um primeiro passo para que tecnologias como essa ganhem mais espaço no Brasil seria a adoção de e-receitas, evitando os problemas da famosa letra de médico.

Além disso, grande parte da burocracia dos remédios controlados poderia ser resolvida, economizando muito tempo de todos os envolvidos.

Como próximo passo, estas e-receitas poderiam abastecer com dados os aplicativos que trariam os preços das farmácias, aumentando o poder de compra do cidadão.

As consequências dos desastres naturais, como as históricas inundações em Santa Catarina, também podem ser atenuadas com o uso destas tecnologias.

Atualmente, no Rio Itajaí-Açu, quando o volume de chuva aumenta, todo o lixo acumulado no rio acaba ficando preso nas grades do dique de contenção de enxurradas, obstruindo o fluxo de água e comprometendo o bom funcionamento da estrutura.

O SENAI, em parceria com a Defesa Civil, está desenvolvendo o sensoriamento e a limpeza automática destes diques, permitindo seu funcionamento e evitando, não só enormes prejuízos financeiros, mas também mortes.

Cidades Inteligentes

cidades inteligentes, e pensando também na segurança física das pessoas, a Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII) anunciou o testbed de semáforos inteligentes, em parceria com a Prefeitura Municipal de Joinville.

A solução de internet industrial transformará semáforos tradicionais em Sistemas de Transporte Inteligente (ITS) com o uso de câmeras térmicas de tráfego, tecnologia inédita no Brasil.

O sistema permite a detecção de pedestres, ciclistas e automóveis com 100% de precisão, sem interferência de chuvas, neblinas ou quaisquer condições climáticas. As câmeras térmicas de tráfego coletam, em tempo real, dados das vias como fluxo de veículos, de ciclistas e de pedestres, permitindo aos semáforos inteligentes a tomada de decisão autônoma sobre o ajuste de intervalo em que devem operar, dando preferência para o tráfego em vias com maior congestionamento, por exemplo.

Podemos concluir, o quão valioso são os dados e como eles podem até mesmo salvar vidas.

Dados podem ser coletados manualmente ou através de sensores e enviados para uma plataforma inteligente que irá permitir que tenhamos informações de forma rápida e assertiva.

A Tecnologia, a inovação e a revolução salvam vidas.

Veja Também:

Machine Learning e Estatística Learning : Entenda a Diferença

Logística 4.0 e o seu potencial com a industria 4.0

Compartilhe isso: