Cena do Filme Tempos Modernos, de Charles Chaplin. Ator deitado em engrenagem ajustando parafusos do maquinário.
13/01/2016

Indústria 4.0, a Quarta Revolução Industrial?

Muito tem se falado sobre um novo modelo de Revolução Industrial que estamos passando atualmente. Com grandes adventos e descobertas atuais, como abordamos em nosso recente post sobre A Internet das Coisas, o cenário produtivo que nos vemos hoje está se interligando cada vez mais a tecnologia, possibilitando grandes avanços na maneira com que vivemos. Porém, o que sabemos desta “Nova Revolução”, ou melhor, a Indústria 4.0? Primeiramente, descreveremos os principais pontos das três primeiras Revoluções Industriais que nosso planeta passou para chegarmos à esta.

Máquina utilizada para transporte em cima de trilho de trem. Máquina funcionando através do carvão.

A Primeira Revolução Industrial ocorreu na Inglaterra, no século XVIII. O modelo de produção do período sofreu mudanças graças às inovações científicas que contribuíram para o surgimento de novas tecnologias, beneficiando o setor industrial. Com isto, emerge o capitalismo industrial, que viria a se alastrar por muitos continentes. Mais tarde outros países também ingressaram no novo modelo de produção em massa, tais como: França, Bélgica, Holanda, Rússia, Alemanha e EUA.

A Segunda Revolução Industrial emerge em meados da metade do século XIX, que teve como uma de suas principais características, os avanços tecnológicos contribuindo para o desenvolvimento da medicina e de outros setores. As invenções e as descobertas também estiveram presentes assim como na primeira revolução. Enquanto o carvão ocupava o papel de destaque na primeira revolução, na segunda o protagonista se tornou o petróleo. Além disso, outros elementos que entraram em cena foram o motor a combustão, o aço e a força da água para a geração de energia elétrica, devido ao aparecimento das usinas hidrelétricas.

Operários trabalhando em linha de produção de fábrica automotiva. Mulheres e homens trabalhando na funilaria e motor dos carros.

Foi na década de 40 que a história passaria a ser escrita pela terceira revolução industrial. Os primeiros passos desse processo ocorreram depois que a Segunda Guerra Mundial e chegou ao seu fim tendo os EUA no papel de destaque entre as grandes economias globais.

A tecnologia avançada se torna o centro de muitos setores de produção. As fontes de energia não ficam restritas a um único setor, sendo fornecida de diversos meios e substâncias. A Terceira Revolução Industrial permite que a robótica esteja cada vez mais presente, levando consigo inovações nos sentidos sociais, industriais e globais. As máquinas passam a exercer atividades que antes eram realizadas pelos homens, gerando uma nova perspectiva no mercado de trabalho.

Linha de produção de indústria automotiva. Automóveis sendo feitos através de máquinas e não mais operários. Máquinas de cor laranja.

Indústria 4.0 como elemento que faz emergir a Quarta Revolução Industrial.

A Indústria 4.0 ainda é mais um conceito do que uma realidade, mas está sendo motivada por três grandes mudanças no mundo industrial produtivo:

– Avanço exponencial da capacidade dos computadores;

– Imensa quantidade de informação digitalizada;

– Novas estratégias de inovação (pessoas, pesquisa e tecnologia).

Entendendo a Indústria 4.0 como uma evolução dos sistemas produtivos industriais, podemos listar alguns benéficos previstos e já estudados e baseados no impacto nas plantas de produção:

– Redução de Custos

– Economia de Energia

– Aumento da Segurança

– Conservação Ambiental

– Redução de Erros

– Fim do Desperdício

– Transparência nos Negócios

– Aumento da Qualidade de Vida

– Personalização e Escala sem Precedentes

A chamada nova revolução industrial, tida como quarta, é caracterizada pelo que são chamados de sensores espertos. Esses dispositivos possuem a finalidade de controlar as máquinas, através de outras máquinas, na etapa de processamento. A sofisticação tecnológica permite que a presença de fio de conexão seja dispensada, porém o processo de produção é simultâneo.

Monitoramento de maquinário através de dispositivo móvel. Mão de pessoa utilizando aplicativo para controlar máquinas.

Se no passado as relações de trabalhado se davam entre pessoas para pessoas, com as revoluções industriais, passaram a ser de pessoas para máquinas. Hoje, o que se verifica é que as relações trabalhistas se dão através de máquinas para máquinas (M2M). No processo de manufatura, os sensores proporcionam o fornecimento de dados e feedbacks para sanar as exigências dos sistemas de controle. Com isso atribui-se a esse mecanismo uma flexibilidade maior na condução das etapas de produção, com maior exatidão nos fornecimentos de dados, reduzindo as margens de erros.

Outra característica importante da Indústria 4.0 é o dispositivo embutido esperto, que, em larga escala, está conectado em toda a parte das empresas que a constituam. Para se ter a certeza de que vivemos o processo de quarta revolução industrial é possível presenciar as características da Indústria 4.0 em rádio, sensores e módulos GPS e muitos outros.

Posts Relacionados

Acompanhe a LWT Sistemas

Categorias

Siga-nos no G+

Receba todas as Novidades em Primeira Mão

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

ATENDIMENTO E SUPORTE
+55 (11) 3232-0532