Pintura Acabamento Peças Impressas em 3D – Pós Processamento

Pintura Acabamento Peças Impressas em 3D – Pós Processamento de Impressões 3D

A Manufatura aditiva é uma tecnologia bastante complexa e a qualidade das peças pode variar bastante dependendo dos ajustes nas configurações da máquina a tecnologia escolhida para a impressão ou até mesmo do software de fatiamento.

A técnica de pós-processamento, como lixamento e pintura, permite que seus objetos criados por uma impressora 3D tenham uma aparência mais real, incluindo cores, texturas, peso e funções. Então, reunimos neste material as 5 das principais práticas dicas para buscar a excelência na qualidade das peças.

Pintura Acabamento Peças Impressas – Preparação e Pintura

A cor dá vida ao produto, ela adiciona profundidade, contraste e personalidade. E parte disso vem das sutis diferenças de tonalidades, e brilhos.

Com um pouco de know-how e um toque de paciência, modelos e protótipos podem ser transformados em amostras de exibição atraentes. O processo de transformar uma peça FDM em uma amostra chamativa não é diferente de outros processos em peças plásticas.

Melhorar o preenchimento da peça, lixar, preparar e pintar… estes são as quatro etapas simples para dar vida a uma peça impressão em FDM.

Outra técnica muito utilizada é a pintura hidrográfica ou Water Transfer Printing (em inglês). Essa técnica, que já é usada há muito tempo no mercado, oferecia, até pouco tempo atrás, uma limitação: a pintura ficava distorcida após a imersão dos objetos.

Recentemente, porém, um grupo de pesquisadores da Universidade de Zheijiang, em Hangzhou, na China, e da Universidade de Columbia, em Nova York, criaram uma maneira de superar esse problema através da programação da pintura de acordo com as especificidades de cada objeto.

Parece incrível e realmente é: o objeto é “mergulhado” na tinta já “distorcida” – ou seja, com as superfícies únicas desse objeto – o que permite precisão, rapidez e baixo custo sem precedentes.

Confira como funciona o processo de pintura de objetos impressos em 3D por Imersão!

– UNIÃO DE PEÇAS IMPRESSAS EM 3D

Ao se imaginar o que é possível se criar em uma impressora 3D em questões dimensionais, uma dica é pensar maior que sua área de impressão. Assim como uma construção consiste em empilhar diversos blocos pequenos, dividir um modelo 3D em partes menores que possam ser combinadas após a impressão é uma solução incrível para suas aplicações.

A divisão de um modelo também pode ser a melhor opção para se obter um resultado de alta qualidade a um menor custo mesmo que a peça possa ser impressa em uma única vez. Esse é o caso quando as superfícies não podem ter contato com o suporte de sustentação para não haver marcações, ou, quando uma geometria dívida me traz redução do uso do suporte.

A Torre Eiffel, por exemplo, tem um número de saliências diferentes. Ela requer estruturas de suporte se impressas em uma só peça. Ao dividir a torre, as peças podem ser impressas individualmente e orientadas de forma a ter menos saliências e não requererem suportes. As peças são unidas no final para fazer a torre completa. Assim a impressão acaba sendo mais rápida, barata e mais bem-acabada do que imprimir tudo em uma única peça!

 

Acabamento em Peças 3D - 2

 

– JATEAMENTO

O acabamento superficial normal das peças FDM é adequado para a maioria dos fins, mas em aplicações onde é necessário um acabamento diferenciado, o jateamento é um processo de baixo custo e uma solução bastante ágil.

O Jateamento é um processo de tratamento de superfícies bastante conhecido, que consiste em propulsionar um material abrasivo contra uma superfície em alta velocidade, com a intenção de alterar essa superfície, seja remover contaminantes, dar texturas a uma superfície lisa, realizar uma limpeza ou acabamento superficial como preparação para a pintura ou outros processos, usando principalmente o ar comprimido como meio propulsor. Antigamente o material abrasivo usado principalmente era a areia, hoje se usam diversos materiais metálicos e não metálicos. O processo pode ser usado para se obter a aparência final da superfície ou como uma etapa preliminar para operações de acabamento subsequentes.

 

Acabamento em Peças 3D - 3

 

Aplicações comuns para o jateamento são:

  • Suavização e polimento para:

– Modelos conceituais

– Protótipos

– Peças de uso final

  • Preparação de superfície, como texturização e gravação para:

– Pintura

– Galvanoplastia

– Matriz de moldes

 

– ACABAMENTO SUPERFICIAL EM MASSA

O Pós processo em alta escala está sendo usado para melhorar o acabamento superficial de peças impressas em tecnologia FDM. O acabamento pode suavizar as marcas visíveis das camadas de construção da tecnologia como um lixamento em massa.

A Stratasys está conduzindo uma extensa pesquisa sobre acabamento em massa com o objetivo de expandir as opções de acabamento para seus clientes, porque atualmente máquinas de acabamento em massa foram projetadas para processar metais, os engenheiros da Stratasys são desenvolvendo cuidadosamente as melhores práticas, em conjunto com os fabricantes de máquinas para explorar esses sistemas para o plástico.

Examinando uma peça em FDM, você verá que os caminhos da ferramenta têm uma ligeira protuberância de cerca de 0,002” do processo de deposição da camada. O acabamento em massa funciona suavizando o material da superfície externa da peça, removendo 0,0015 a 0,003 polegadas da superfície.

Acabamento em Peças 3D - 4

 

– ORIENTAÇÃO

Você sabia que o sentido da impressão tem uma influência direta em diversas características da sua peça impressa? Resistência mecânica, acabamentos superficiais entre outras podem sofrer variações dependendo de como você posiciona o seu modelo para imprimir.

Antes de se começar a manufaturar suas peças em uma impressora 3D, à uma série de etapas que antecedem o “Imprimir”. O arquivo pode ser criado do zero utilizando softwares de modelamento 3D ou então baixando de alguma biblioteca de desenhos virtuais, no momento em que exportamos o arquivo para nosso software de fatiamento escolher o sentido de impressão das peças em relação a base é fundamental.

Apenas de ser um fator de grande importância, muitos usuários não se atentam para o posicionamento. Se o objeto tiver que suportar cargas ou se a prioridade for um bom acabamento superficial essa escolha tem influência direta nessas características, portanto, pode ditar o sucesso ou fracasso do seu projeto.

Falando de qualidade superficial, o sentido de impressão das peças afeta o acabamento da superfície, isso é devido ao processo de fatiamento e a construção no eixo Z. Isso porque orientar a peça de modo que as superfícies curvadas ou inclinadas sejam construídas paralelamente ao eixo Z resultara em superfícies mais lisas

De uma forma mais clara, vamos considerar as camadas de construção como resolução de construção, imagine um paralelepípedo impresso de forma priorizando o eixo X (Flat), sem levar em consideração a altura da camada, vamos supor que foram depositandos 50 layers para completar a peças. Posicionando de forma horizontal priorizando o eixo Y (Horizontal), o mesmo modelo seria construído com 100 layers, já priorizando o eixo Z (Vertical) seriam necessários 200 layers para a mesma construção. Quanto mais camadas, maior a resolução consequentemente melhor o acabamento superficial.Acabamento em Peças 3D - 5

Pintura Acabamento Peças Impressas

Pintura Acabamento Peças Impressas

 

Para mais informações sobre pintura acabamento peças impressas

Como as Impressoras 3D mudarão o Consumo

Impressão 3D para obter peças em Poliuretano

Impressão 3D de Moldes para Injeção Plástica

Impressão 3D de Moldes de Sopro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.