Manufatura de peças finais – Conheça a tecnologia

Manufatura de peças finais

Manufatura de peças finais – Conheça a tecnologia

Quando relacionamos a manufatura aditiva com peças finas, o principal fator que faz com que andemos alguns passos para trás é a produtividade.

A manufatura aditiva cada vez mais, está tomando espaço no ambiente industrial, revolucionando o processo de se manufaturar.

A demanda por peças plásticas em vários setores não mostra sinais de desaceleração.

Após uma ligeira retração em 2020 devido à pandemia mundial, as projeções atuais apontam para um crescimento anual composto de 8%, chegando a US$ 1,2 trilhão em 2023.

Uma das tecnologias que os fabricantes contam para atender a essa demanda de produção é a impressão 3D.

Ele oferece uma maneira para empresas automotivas, produtores de bens comerciais e fabricantes de produtos de consumo fabricarem peças de produção de plástico quando outras tecnologias, como moldagem, não são ideais.

Manufatura de peças finais

Para volumes de produção abaixo de várias centenas de milhares, a impressão 3D é, em muitos casos, a melhor solução.

Isso porque a impressão 3D tem vantagens inerentes sobre tecnologias como moldagem por injeção para esse cenário.

Para começar, a manufatura aditiva é uma tecnologia “sem ferramentas”.

Não há necessidade de investimento em ferramental para fazer as peças, como ocorre com a moldagem.

Isso a libera das limitações impostas pelas economias de escala, permitindo a produção sob demanda e a capacidade de fabricar em quantidades não economicamente possíveis com as outras tecnologias.

Recentemente a Stratasys publicou informações sobre o lançamento da nova tecnologia de impressão 3D, a SAF, “Selective Absorption Fused”, que possibilita a impressão de peças em PA11 e promete impressões em grande estala.

Os principais benefícios da impressão 3D SAF incluem:

  • Peças de uso final altamente precisas
  • Custo de impressão previsível e competitivo
  • Repetibilidade consistente
  • Produção várias peças em um único lote

O PA11, material inicial para a tecnologia SAF é o High Yield PA11, que é um plástico de base biológica feito de matérias-primas renováveis derivadas de óleo de rícino sustentável.

Comparado ao PA12, o PA11 tem menor impacto ambiental, resistência térmica superior e é menos quebradiço. Ele passou nos testes iniciais, incluindo ISO 10993-5 para citotoxicidade e UL94 HB para inflamabilidade.

Com essas qualificações nos posicionamos melhor na área industrial, a utilização de materiais já comercial traz maior confiabilidade e aceitação quando a quebras de culturas nos métodos de produção.

Mas, a utilização de um material comercial na indústria ainda não nos qualifica para atender demandas de peças finais em altas produções, e foram os fatores de velocidade e produtividade que chegou junto à H350 da Stratasys.

blank

Especificações

Tamanho de construção efetivo (xyz) 315 x 208 x 293 mm

Volume de construção efetivo 19,2 l

Espessura da camada 100 μ

Materiais: Pó: Stratasys High Yield PA11 Fluid e Stratasys High Absorption Fluid HAF

Compatibilidade de Software: Materialize Magics, Siemens NX e PTC Creo GrabCAD Print Server e consulmo de energia de 3,25 kw, 5 kw (pico), 0,15 kw (inativo).

Tempo para uma compilação completa 12:02horas.

Ou seja, dentro de um volume de 19,2 Litros temos um tempo máximo de construção de 12:02 horas. Especificações que posicionam a H350 um equipamento de produtividade.

“Atendemos pedidos de peças grandes, bem como pedidos maiores de peças menores, e estamos impressionados com o desempenho da tecnologia SAF.

Estamos vendo peças muito precisas e consistentes, e o sistema também tem sido impressionantemente confiável. ” Philipp Götz, diretor administrativo / proprietário Götz Maschinenbau GmbH & Co.KG